Fundação Japão em São Paulo promove “Sky Bridge Experience”: um encontro através das constelações

Experiência que reunirá realidade virtual, concerto e exposição na Unibes Cultural acontece de 18 a 20 de março, com entrada gratuita

A Fundação Japão em São Paulo, com apoio da Unibes Cultural e Sinos na Floresta, apresenta, Sky Bridge Experience, um encontro entre o Brasil e o Japão através das constelações, nos dias 18 a 20 de março, na Unibes Cultural, em São Paulo.

O evento de realidade virtual, utilizando a linguagem visual e sonora, reúne a experiência do planetário, concerto musical e exposição, combinando a cultura japonesa e a brasileira. Com a curadoria e produção de Shen Ribeiro, o evento é uma extensão do projeto Sky Bridge-Ponte do céu e tem ingressos gratuitos, que deverão ser retirados no local, a partir de uma hora antes de cada sessão. 

As sessões terão vagas limitadas a 70% da capacidade do local, com a exigência de apresentação do passaporte de vacinação na entrada.

Sky Bridge Experience

O conteúdo do projeto Sky Bridge-Ponte do céu, originalmentedesenvolvido para os planetários no Japão, foi convertido especialmente para a plataforma de realidade virtual, resultando no Sky Bridge Experience, que proporcionará ao público brasileiro uma experiência única

Sky Bridge-Ponte do céu faz parte de uma série de projetos de arte cênica de cooperação internacional da Fundação Japão. Desenvolvida para os planetários no Japão pela empresa japonesa LIL Visual Art Studio, contou com a participação de músicos e artistas de ambos os países na produção.

“O nome do projeto nasceu primeiro em japonês, com a ideia de um projeto que unisse músicos japoneses e brasileiros, unidos a um tema relacionado com estrelas e a via láctea. Porém, percebemos que esse encontro iria muito além de um encontro musical, estabelecendo uma ponte cultural entre dois países irmãos, apesar da incrível distância geográfica que nos separa e das diferenças culturais que nos une”, explica o músico Shen Ribeiro, curador do projeto.

Sky Bridge Experience conta com apresentações musicais ao vivo, com os músicos brasileiros que estiveram envolvidos na trilha musical, além da exposição de trabalhos de artistas visuais de ambos os países.

O eventoreúne o dinamismo da linguagem visual de Daisuke Hashimoto, do estúdio japonês LIL Visual Art Studio, a sensibilidade da artista brasileira Camila Gondo, a poesia sonora de músicos brasileiros, como Ari Colares, Gabriel Levy, Neymar Dias e Shen Kyomei Ribeiro, e o músico japonês Yohei Kobayashi, entre outros.

A produção foi conduzida no Japão pela Mayumi Otake, da S. C. Alliance.

PROGRAMAÇÃO

Sexta-feira, 18 de março

Sessões de VR (Realidade Virtual): 16h, 16h45, 17h30, 18h15 e 20h

Exposição: a partir das 16h

Concerto: 19h

Sábado, 19 de março

Sessões de VR (Realidade Virtual): 14h30, 15h15, 16h, 16h45, 17h30, 18h15 e 20h

Exposição: a partir das 14h

Concerto: 19h

Domingo, 20 de março

Sessões de VR (Realidade Virtual): 14h30, 15h15, 16h, 16h45, 17h30, 18h15 e 20h

Exposição: a partir das 14h

Concerto: 19h

LIL Visual Art Studio

Estúdio japonês que atua principalmente nas áreas de produção de audiovisual, cenografia, direção de palco, animação, design visual e design sonoro. Nos últimos anos, a LIL tem sido ativa no planejamento, design de experiência e produção de espetáculos de entretenimento, utilizando projeção mapeada, filmes para exposições e museus e exposições permanentes em instalações comerciais e parques temáticos.

Seus trabalhos mais recentes foram o Pokémon Wonder, CRYSTAL STORY, da Square Enix, NEXT VISION JAPAN 2021 XR LIVE, entre outros.

MÚSICOS PARTICIPANTES

Ari Colares (percussão)

Mestre em educação musical pela ECA-USP, mesma instituição onde fez o Bacharelado em percussão. Músico e educador especializado em percussão e ritmos brasileiros. Ingressou aos 17 anos num grupo de teatro popular, que se transformou em um Balé Folclórico (Abaçaí – Cultura e Arte), por meio das pesquisas, vivências e produção de espetáculos. Desde 1990, passou a lecionar e tocar com importantes nomes da música. Desde 2000, participa de diversos projetos com o pianista Benjamim Taubkin – com quem tem viajado para diversos países. Desde 2004, faz parte do grupo musical A Barca, que vivencia e dialoga com diferentes mestres e expressões da música da Cultura Popular Brasileira. Lecionou Percussão Popular na Tom Jobim EMESP – Escola de Música de SP, de 1993 a 2018. Atualmente, exerce o cargo de Gerente Artístico do Projeto Guri, ministra aulas regulares em seu estúdio, além de cursos e oficinas no Brasil e no exterior.

Gabriel Levy (piano/acordeão)

Acordeonista, arranjador, compositor, educador e produtor musical tem atuado ao lado de artistas do Brasil e do exterior nos mais diversos estilos. Participa de alguns dos mais destacados projetos de músicas do mundo no Brasil, como Mawaca, Mutrib, Fortuna, Orquestra Mundana, Kerlaveo, além de trabalhos juntos a comunidades de imigrantes. Criou o projeto artístico-pedagógico “A Magnífica Orchestra Paulistana de Músicas do Mundo”. É diretor musical de festivais multiculturais, como Na Dança!, Ethno Brazil, Encontro de Música e Danças do Mundo (Bahia). Foi indicado a prêmios musicais como Melhor Produtor e Melhor Instrumentista. Seu CD Terra e Lua recebeu o prêmio Catavento da Rádio Cultura na categoria Música Instrumental. Publicou livros e artigos voltados à educação musical intercultural. Mestre em Processos de Criação Musical /Educação Musical (ECA-USP). Teve composições interpretadas por renomados artistas, como Duo Assad, Orquestra Refugi, Yo-yo Ma, Paquito d’Rivera, entre outros.

Neymar Dias (viola caipira/baixo acústico)

De início, autodidata, aprendeu vários instrumentos de cordas, como viola caipira, guitarra, violão, baixo elétrico, guitarra havaiana e bandolim. Posteriormente, formou-se em composição e regência pela FAAM – Faculdade de Artes Alcântara Machado, integrando orquestras respeitadas, como a OSUSP e a Experimental de Repertório. Notado por sua profundidade e musicalidade ímpares, realiza intenso e constante trabalho na música popular, atuando como compositor, arranjador e músico de estúdio, trabalhando juntamente com importantes nomes do cenário musical brasileiro. Recebeu o prêmio revelação do “Prêmio Syngenta de Música Instrumental de Viola Caipira”, em 2005, e foi nomeado ao Grammy Latino juntamente com Toninho Ferragutti, em 2014. Lançou os cds “Capim” (2009), “Intervalo” (2010), “Caminho de Casa” (2012), Duo (2013), Come Together Project! (2015). Em 2015 e 2016 saiu em turnê nacional com Monica Salmaso e em 2016 arranjou e produziu projeto com Ivan Lins e Rafael Altério.

Shen Kyomei Ribeiro (shakuhachi/flauta transversal)

Natural de Botucatu, São Paulo, começou sua aprendizagem musical através do canto comunitário. Aos 15 anos, iniciou o estudo de flauta doce (recorder), piano e canto coral no Conservatório de Música do Instituto Santa Marcelina, em sua terra natal. Integrou, como flautista, as Orquestras Jovens do Município de São Paulo e do Estado de São Paulo, sendo presidente dos comitês das orquestras. Em 1987, partiu para o Japão, para especializar-se no estudo do Shakuhachi e cultura tradicional japonesa. Em 1988, ingressou na Universidade de Belas Artes de Tóquio e foi um discípulo direto do Professor e Mestre Goro Yamaguchi (Tesouro Nacional Japonês). Com 6 cds gravados, foi convidado para tocar para a Imperatriz do Japão em um recital na casa do Embaixador da Argentina em Tóquio e para o Imperador do Japão em sua residência no Palácio Imperial de Tóquio. Como Concertista, apresentou-se em inúmeras salas de concertos no Brasil, Japão e Europa, interpreta repertório variado de estilos e autores, confraternizando temas clássicos, populares e tradicionais. Atualmente, vive em São Paulo, lecionando e tocando o Shakuhachi estilo kinko, representando da Associação Chikumeisha do Japão, e participa como convidado de gravações de músicos brasileiros.

EXPOSIÇÂO DOS ARTISTAS

Daisuke Hashimoto

Diretor artístico, artista de animação e de artes visuais, dirige comerciais de TV, vídeos musicais, animação e design de personagens. Recentemente esteve envolvido no planejamento e direção artística de conteúdos usando novas tecnologias, como experiências de ocupação de espaços através da projeção mapeada, arte digital, teatro e shows de entretenimento. Desde 2005 na P.I.C.S., onde atualmente exerce o cargo de gerente, se estabeleceu na LIL em 2018 a fim de especializar sua própria criatividade e buscar novas possibilidades de expressão, ampliando o escopo de suas atividades. Premiado com DSA Japan Spatial Design Award (2018), ONESHOW (Nova Iorque) SilverPencil (2016), D&AD (Londres) Lápis de grafite (2016), 4K de Boas Práticas (2014), entre outros.

Camila Gondo

Artista brasileira, com ascendência japonesa, nascida em São Paulo, passou parte da infância em Tóquio, Japão. Formada em Design pela UNESP Bauru, cursou mestrado em Design de Moda na Universidade de Lisboa. Procura inspiração para o seu trabalho no feminino e na natureza, inserindo em seu processo criativo as particularidades dos diferentes países em que viveu, entre eles Singapura. Além de pinturas em quadros e paredes residenciais, realizou projetos artísticos para marcas como Google, Starbucks, Bvlgari, BASF, Shiseido, Koleston, Lisbon Fashion Week, entre outros.

SERVIÇO

Sky Bridge Experience

Data: 18 a 20 de março de 2021

Horário: sexta-feira a partir das 16h, sábado e domingo a partir das 14h

Local: Unibes Cultural

Endereço: Rua Oscar Freire, 2.500 – Sumaré, São Paulo – SP (ao lado do Metrô Sumaré)

Capacidade: sessões de VR são limitadas a 30 pessoas por sessão | Concerto com capacidade de 200 lugares (sessões com limite de 70% da capacidade)

Ingressos: Gratuitos, com distribuição de senhas no local a partir de 1 hora antes de cada sessão (VR e concerto)

A apresentação do passaporte de vacinação será exigida na entrada, como medida de prevenção ao risco de transmissão do Coronavírus (Covid-19)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *